Esta mãe decidiu adotar dois filhos mas depois descobre quem eles realmente são

Em maio de 2017, Katie Page deu um passo muito importante ao adotar oficialmente o menino Grayson. No mês seguinte, a nova mãe foi apresentada a uma recém-nascida a qual também precisava de cuidados. Depois de Page ter acolhido as duas crianças em sua casa, no entanto, ela fez uma descoberta surpreendente sobre a relação de ambos.

Para contextualizar, Page nasceu em Birmingham, no estado do Alabama, embora mais tarde tenha se mudado para Denver. Em novembro de 2014 ela conseguiu um emprego na GE Johnson, uma empresa de construção com sede na cidade de Colorado Springs, Colorado. Em suma, ela trabalha como gerente de serviços integrados, supervisionando uma série de diferentes projetos de construção.

 

Contudo, antes de fazer parte do time da GE Johnson, Page também estava lidando com as consequências de seu divórcio. Durante esse período, então, ela refletiu bastante em uma tentativa de colocar sua vida de volta nos eixos. Nesse processo, notou que precisava fazer algumas mudanças significativas.

ADVERTISEMENT

“Eu sabia que Deus estava me chamando para ser uma mulher muito diferente de quem eu era na época”, escreveu Page em uma postagem de 2018 em seu blog, Wood + Grace. “Lembro, literalmente, de olhar para o espelho e chorar pela mulher que eu via refletida. Eu sabia, eu não era quem meu coração desejava ser”.

“Fiquei comprometida a mudar a minha vida e a criar uma vida que fosse gratificante e da qual eu me orgulhasse”, acrescentou Page. Com isso em mente, ainda naquele ano, ela conseguiu seu emprego na GE Johnson e também assumiu um projeto pessoal ambicioso, comprando uma nova casa que, como ela relatou mais tarde, precisava passar primeiro por reparos e melhoras para depois ter seu valor agregado.

ADVERTISEMENT

“A casa que eu comprei exigiria um trabalho imenso para se transformar no que eu tinha em mente – e a maior parte do trabalho teria que ser feita por mim para não exceder do valor investido”, Page escreveu em seu post no blog. “A casa era enorme e com quatro quartos. Eu disse aos meus amigos na época que assim era melhor, mesmo que eu realmente não soubesse se, de fato, seria”.

ADVERTISEMENT

Enquanto Page lentamente reconstruía sua vida, uma ambição desde sua infância começou a ganhar destaque. Essa nativa do Alabama sonhou em ter seus próprios filhos por anos, embora problemas de fertilidade a tenham impedido durante seu casamento.

ADVERTISEMENT

No entanto, o desejo de infância de Page foi reacendido apenas duas semanas após se mudar para sua nova casa. Naquela época, ela recebeu um e-mail de sua igreja e, ao ler a mensagem, a gerente de construção foi atraída para um anúncio de uma reunião sobre adoção.

ADVERTISEMENT

“Eu não conhecia ninguém que possuísse filhos adotivos ou houvesse sido criado em um lar adotivo”, Page afirmou em Wood + Grace. “Eu realmente não sabia nada sobre isso, mas meu coração foi chamado para aprender mais. Quando perguntei para minha mãe, que estava me ajudando com a reforma da casa, se ela gostaria de ir comigo a essa sessão informativa sobre adoção, a resposta foi um curto ‘O QUÊ?!’”.

ADVERTISEMENT

A mãe de Page, em seguida, ofereceu algumas palavras de cautela sobre Page se tornar uma mãe adotiva em tal momento da vida. Afinal, devido ao trabalho e a restauração da casa, ela já havia muito com o que lidar. Porém, apesar dessa relutância inicial, os pais de Page eventualmente cederam e acompanharam a filha até a reunião. Lá, a própria Page foi muito afetada.

ADVERTISEMENT

“O que eu ouvi naquela noite sobre acolhimento familiar me deu arrepios e me assustou, mas também aqueceu meu coração de uma forma que eu não conseguia parar de pensar sobre isso”, Page constatou em seu blog. “Eu continuei a orar e trabalhar com a ideia de acolher crianças com trauma ainda que eu fosse uma única mulher e que trabalhasse em tempo integral.”

ADVERTISEMENT

Assim, Page tomou uma decisão que mudou a vida dela para sempre. “Depois de muito pensar, no Dia das Mães de 2015 eu completei minha candidatura e dei o próximo passo para me tornar uma mãe adotiva e começar uma nova aventura”, escreveu ela. Cerca de um ano depois, ela estava totalmente imersa em seu novo papel.

ADVERTISEMENT

A essa altura, Page estava cuidando do seu quarto filho adotivo temporário e sua mentalidade estava mudando lentamente. Enquanto passava algum tempo com o jovem, ela pensou em uma ideia que iria alterar significativamente seus planos de longo prazo. E depois de ponderar de uma forma geral, ela falou sobre a sua nova ambição com o assistente social.

ADVERTISEMENT

“Eu queria uma atribuição de longo prazo e potencialmente uma para ficar para sempre”, Page explicou mais tarde. “Até então, eu tinha realmente focado apenas em residir crianças temporariamente, entretanto eu estava aberta a promover a adoção se a opção se apresentasse. Na próxima visita a casa de meu assistente social, revelei o meu desejo de ser um lar para uma criança para sempre.”

ADVERTISEMENT

Então, pouco depois disso, Page recebeu uma mensagem importante. “Era metade do dia quando eu chequei a mensagem de voz do meu assistente social”, ela lembrou em seu blog. “Tratava sobre um menino que foi abandonado no hospital e, provavelmente, era uma situação de adoção”.

ADVERTISEMENT

Com isso, Page sentiu uma oportunidade real de realizar o seu sonho. “O bebê teve exposição às drogas, mas não estava mostrando sinais de abstinência e receberia alta já no dia seguinte”, ela passou a escrever. “Eu imediatamente chamei meu assistente social de volta e disse: ‘Eu quero ele! Me dê cinco minutos, e, por favor, não ligue para mais ninguém’”.

ADVERTISEMENT

Após Page ter conversado acerca da sua decisão com a mãe, ela chegou ao hospital no dia seguinte para ir buscar o recém-nascido. A partir daí, a mãe adotiva acolheu o menino em sua casa. No entanto, ela ainda possuía mais uma grande tarefa para lidar, já que o pequeno não tinha nome, sendo apelidado pelas enfermeiras de “bebezinho”.

ADVERTISEMENT

Felizmente, Page havia feito uma longa lista de potenciais nomes para o recém-nascido. Ao observar as opções, um nome em particular se destacou. Por fim, ela decidiu chamar o bebê de Grayson.

ADVERTISEMENT

Enquanto isso, antes de Grayson se instalar, Page convidou sua mãe para ficar na casa nos meses seguintes. Afinal, ela ainda estava cuidando de outra criança adotiva. “Eu não tinha ideia de como eu seria capaz de cuidar de uma criança de 14 meses e um recém-nascido sozinha, então eu sabia que eu precisava de ajuda”, admitiu a gerente de construção.

ADVERTISEMENT

Ainda que a mãe de Page tenha ajudado sua filha, os meses seguintes se mostraram bastante desafiadores. Foi durante esse período que Page começou a procurar sobre os pais biológicos de Grayson, entretanto esse esforço acabou sendo um pouco complicado. “As informações deixadas no hospital nunca levaram a ninguém”, escreveu em seu blog.

ADVERTISEMENT

“Ninguém respondeu aos anúncios publicados no jornal ou voltou para o hospital em busca do menino que havia sido deixado naquele dia”, continuou Page. Nessa altura, a mãe adotiva começou a sentir emoções contrastantes em relação às buscas que a deixaram numa posição difícil.

ADVERTISEMENT

“Parte de mim ficou aliviada por ninguém se apresentar, para que Grayson fosse meu para sempre, sem oposição”, escreveu Page. “Mas havia um frio na barriga sobre um dia ter de dizer ao meu filho que ninguém apareceu na audiência final. Ninguém veio à procura dele.”

ADVERTISEMENT

“Embora meu menininho recebesse oração e fosse desejado por mim desde que eu era uma criança, eu ainda sabia que essa discussão seria algo que eu temeria por anos”, acrescentou Page. Apesar desses sentimentos ansiosos, a mãe deu o próximo passo em sua relação com seu filho adotivo.

ADVERTISEMENT

Depois de 11 meses juntos, Page finalmente adotou o Grayson. Ela decidiu parar de trazer mais filhos adotivos também, já que o menino estava enfrentando alguns desafios físicos e mentais devido à sua exposição às drogas enquanto estava no ventre de sua mãe.

ADVERTISEMENT

Querendo se concentrar no desenvolvimento de seu filho, Page planejou esperar mais alguns meses antes de abrir sua porta para outra criança. Mas a sua postura mudou rapidamente após uma conversa com seu assistente social. Mais uma vez, Page recebeu uma sugestão intrigante.

ADVERTISEMENT

“Depois de me perguntar como estávamos indo no pós-adoção, ele começou a me contar sobre uma atribuição de emergência que eles tiveram para uma menina de quatro dias, com exposição às drogas, que estava no mesmo hospital em que Grayson havia nascido”, relatou Page em Wood + Grace. “E a criança estava precisando de residência”.

ADVERTISEMENT

“Eu conseguia sentir o medo dentro de mim e os arrepios no meu corpo. Eu estava sobrecarregada com o pensamento” Page continuou. “No entanto, senti que eu deveria continuar ouvindo e considerar esta adoção. Havia algo de diferente nela”. Mais tarde naquele dia, a mãe adotiva recebeu em sua casa a bebê Hannah.

ADVERTISEMENT

Por acaso, Page descobriu uma coincidência incrível ao rever os registos médicos de Hannah. Parecia que a recém-nascida havia enfrentado exatamente o mesmo nível de exposição às drogas que Grayson havia experimentado, apresentando condições correspondentes. Aliás, as semelhanças entre as duas crianças não paravam por aí, como Page notou mais tarde naquela noite.

ADVERTISEMENT

“Quando revi as pulseiras da menina, observei o primeiro nome de sua mãe corresponder o nome que a mãe de Grayson havia dado ao hospital”, Page descreveu em seu blog. “Continuei a rever os papéis da alta do hospital e, quando me deparei com a data de nascimento da mãe dela, tive que dar uma segunda olhada. Pareceu familiar”.

ADVERTISEMENT

Anteriormente, Page havia pedido a ajuda de uma mulher chamada Ashley Chapa, que estava vivendo em sua casa para ajudar com as duas crianças. Assim, depois de identificar a similaridade em relação à data de nascimento, a gerente de construção pegou os detalhes de Grayson e partilhou as informações com a Ashley. Em um curto período de tempo, ambas fizeram uma ligação potencialmente inacreditável.

ADVERTISEMENT

Page percebeu rapidamente que a data de nascimento da mãe da Hannah estava apenas a um dia de distância da de Grayson e essa revelação, por sua vez, levou a um momento notável. “Eu e minha companheira olhamos uma para a outra, imaginando se estávamos pensando a mesma coisa”, explicou Page. “Poderiam ter a mesma mãe?”.

ADVERTISEMENT

Ashley Chapa ficou chocada com a possibilidade de que Grayson e Hannah fossem irmãos. “Foi tão surreal quanto você poderia imaginar”, ela disse para Good Morning America em janeiro de 2019. “Katie tirou a pasta com a papelada do Grayson e nós percebemos o mesmo nome, tudo”.

ADVERTISEMENT

A partir daí, Page realizou um pouco mais de pesquisa antes de entrar em contato com o assistente social de Grayson para discutir suas descobertas. Depois disso, ela recebeu algumas informações sobre a mãe de Hannah que só fortaleceu suas suspeitas. No final dessa semana, Page e a bebê iam conhecer a mulher que parecia ser a mãe da Hannah.

ADVERTISEMENT

Além disso, esse encontro deixou Page ainda mais convencida de que sua teoria estava certa. Alguns dias depois, o assistente social de Page conheceu a suposta mãe da Hannah pela primeira vez, apesar de Page duvidar que a mulher fosse de fato a mãe biológica da menina.

ADVERTISEMENT

Mas, ao que parece, o palpite de Page parecia estar correto. “O assistente social me ligou pouco depois da reunião e disse, ‘Katie, eu acho que você está certa!’”, escreveu Page no Wood + Grace. “Sua história literalmente parte meu coração, e eu não posso acreditar, mas eu tenho 90% de certeza que você está certa e isso é um milagre’”. No entanto, a conversa não terminou aí.

ADVERTISEMENT

“Cerca de 45 minutos depois, o assistente social me ligou de volta e disse, ‘Katie, agora eu tenho 100% de certeza,’” Page adicionou em seu post. “‘Acabamos de encontrar o último nome que ela deu com o nascimento de Grayson para um parente de Hannah’. Eu chorei enquanto desligava o telefone.”

ADVERTISEMENT

Após essa descoberta, no entanto, Grayson e Hannah foram submetidos a um teste de DNA que finalmente revelou que os dois eram realmente irmãos. Essa feliz coincidência, portanto, levou Page a buscar outra adoção. E quando 2018 terminou, ela finalmente uniu de modo oficial os irmãos, trazendo ambos para a mesma família adotiva.

ADVERTISEMENT

“Hannah é o oposto de Grayson”, disse Page ao Good Morning America em janeiro de 2019. “Ele adora relaxar e ela é uma coisa selvagem. Assim que comecei a desconfiar que ela era irmã dele, eu disse: ‘Com certeza eu vou adotá-la’. Quando acolhi o Grayson e aceitei ser mãe dele, aceitei também a família dele.”

ADVERTISEMENT

No entanto, há mais uma reviravolta nessa história notável. Page foi informada de mais um irmão bebê e acabou por aceitar o irmão mais novo de Hannah e Grayson. Ela espera ser capaz de fazer da criança um membro oficial da família em 2019.

ADVERTISEMENT

Page refletiu sobre sua situação, dizendo: “Eu era uma mulher solteira em uma casa de quatro quartos e, agora, cada quarto na minha casa está cheio. Nunca é maçante. As pessoas estão sempre a perguntar-me: ‘Como é que consegue?’”. Ela acrescentou: “Eu nunca pensei que eu teria três bebês, mas Deus não dá mais do que podemos lidar.”

ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT